segunda-feira, abril 27, 2009

"Câmara Humana"

Acredito que vocês já tenham ouvido falar deste rapaz autista, conhecido como a "Câmara Humana". Penso que, a grande mensagem contida no filme a que irão assistir a> seguir, é que o saber científico actual, ainda não está capacitado a definir - com exactidão - o potencial do cérebro, da percepção ou da> consciência humana.> > > P.S.: Lamentavelmente, o áudio do filme, não é de boa qualidade, mas a> essência da imagem fala só por si.

video

segunda-feira, abril 20, 2009

Interesses dos Autistas

Uma das mais interessantes e prevalentes características comportamentais das crianças com Asperger corresponde ao excepcional fascínio por determinados temas (marcas de carros, sinais de trânsito, trajectos de autocarros, comboios, puzzles, conchas, filmes, vulcões, vídeos,...) ou eventos (Expo 98, Mundial de Futebol de 2004, actos terroristas, catástrofes naturais,...), com evocação frequente e recorrente dos mesmos.

Está referido, em muitos casos, um fascínio incontrolável pelo acto de folhear livros e revistas, sem aparente preocupação com o conteúdo. Com frequência, apresentam um interesse intenso por uma história particular.

Amiúde, há um fascínio por um determinado vídeo (são capazes de o passar repetidamente no mesmo dia ou, em alguns casos, de ver, vezes sem fim, a mesma cena). Em muitos casos também, há um grande fascínio por anúncios da televisão.

Alguns pesquisadores sugeriram que essas "obsessões' são essencialmente arbitrárias. Normalmente, os seus interesses envolvem a memorização ou ordenação de factos. Estas crianças tendem a um estudo implacável sobre as áreas de interesse, perguntando coisas insistentemente. Este comportamento pode levar a criança a sentir alguma frustração por não entenderem que os seus interesses não são partilhados pelos outros. Algumas vezes, os interesses são vitalícios; em outros casos, vão mudando a intervalos imprevisíveis. Ao perseguir estes interesses, portadores de SA frequentemente manifestam argumentação extremamente sofisticada.

Os aspies podem ter pouca paciência com coisas fora destes campos de interesse específico. Na escola, podem ser considerados inaptos em certas actividades, mas altamente inteligentes no campo do seu interesse. Com um pouco de orientação estes interesses podem ser desenvolvidos de modo a que a criança com asperger venha a estudar ou trabalhar na área do seu interesse específico.

Muito frequentemente, as crianças afectadas pela síndrome de Asperger apresentam um grande fascínio por movimentos, sobretudo repetitivos: da máquina de lavar a roupa, das ventoinhas, dos pêndulos,....Também, com frequência, mostram um enorme fascínio por luzes e por objectos brilhantes: luzes intermitentes, faróis, espelhos, superfícies brilhantes, etc. Um comportamento muito característico consiste no alinhamento de objectos, amiúde milimétrico, por vezes segundo determinada ordem e em qualquer justificação prática.

Autismo e Síndrome de Asperger: algumas diferenças

    
 
Autismo

Síndrome Asperger

Gravidade do caso

          X  
Atraso Mental           X  
Alterações cognitivas           X  
Atraso significativo da fala           X  

Usa a 3ª pessoa (ele, ou o próprio nome) no lugar da 1ª pessoa (eu)


          X
 
QI executivo mais alto           X  

Diagnóstico possível antes dos 3 anos de idade


          X
 

Diagnóstico de certeza só após 6 anos de idade

 
           X
Inteligência verbal              X
Pedantismo              X
Busca activa de interacção social              X

Dá a impressão de possuir um estilo antigo, excêntrico

 
           X
Pode dar a impressão de super - dotado              X
Pais com quadro similar              X

Famosos com Asperger

michelangelo-creation-adam-

Leonardo da Vinci (pintor, matemático, escultor, arquitecto, físico, escritor, engenheiro, poeta, cientista, botânico e músico do Renascimento italiano. É considerado um dos maiores génios da história da Humanidade

Michelangelo (foi um pintor, escultor, poeta e arquitecto renascentista italiano)

Ludwig van Beethoven (compositor erudito alemão, do período de transição entre o Classicismo e o Romantismo É considerado um dos pilares da música ocidental) Wolfgang Amadeus Mozart (compositor austríaco e executante da música erudita do Período Clássico)

Isaac Newton (cientista inglês, mais reconhecido como físico e matemático, embora tenha sido também astrónomo, alquimista, filósofo natural e teólogo)

Jane Austen (foi uma escritora inglesa proeminente, considerada por alguns como a segunda figura mais importante da literatura inglesa depois de Shakespeare)

Emily Dickinson (poetisa americana)

Vincent Willem van Gogh (pintor pós-impressionista holandês)

Albert Einstein (foi um físico alemão radicado nos Estados Unidos mais conhecido por desenvolver a teoria da relatividade. Ganhou o Prémio Nobel da Física de 1921)

Alfred Hitchcock (cineasta britânico/norte-americano, considerado o mestre dos filmes de suspense)

Al Gore (político americano)

Bill Gates (fundador da Microsoft, a maior e mais conhecida empresa de software do mundo)

Bobby Fischer (famoso xadrezista originalmente norte-americano, naturalizado islandês e ex-campeão mundial de xadrez)

Stanley Kubrick (um dos cineastas mais importantes do século XX, responsável por uma obra polémica, mas que gozou de uma excelente recepção crítica.

Keanu Reeves (actor)

Sócrates (filósofo ateniense, um dos mais importantes ícones da tradição filosófica ocidental, e um dos fundadores da actual Filosofia Ocidental)

Thomas Jefferson (terceiro presidente dos Estados Unidos da América)

Charles Darwin (naturalista britânico)

Thomas Alva Edison (inventor e empresário americano que desenvolveu muitos dispositivos importantes de grande interesse industrial)

Henry Ford (empreendedor americano fundador da Ford Motor Company e o primeiro empresário a aplicar a montagem em série de forma a produzir em massa automóveis)

Wassily Kandinsky (artista russo e professor da Bauhaus)

Alexander Bell (cientista, inventor e fundador da companhia telefónica Bell)

Nietzsche (influente filósofo alemão do século XIX)

Andy Warhol (pintor e cineasta norte-americano, bem como uma figura maior do movimento de pop art)

Jim Henson (criador e manipulador de bonecos Marretas)

domingo, abril 19, 2009

Fim da palavra "autista" no discurso político português

AR

Lisboa, 18 Abr 2009 (Agencia Lusa) - A decisão dos deputados à Assembleia da República de deixarem de chamar autistas aos seus pares foi a primeira decisão tomada no Parlamento português suscitada pelo Twitter, uma espécie de mini-blogue cuja utilização tem crescido avassaladoramente no mundo nos últimos meses. A questão foi colocada pela mãe de um autista numa conversa através daquela chamada “ferramenta” social - onde se pode escrever 140 caracteres de cada vez que ficam imediatamente disponíveis - com o deputado Jorge Seguro a 25 de Março.

Ana_Martins Ana Martins, 45 anos, autora de livros e textos vários sobre autismo, pediu ao parlamentar socialista se “os senhores deputados quando se estão a mimosear entre pares seria possível não se denominarem AUTISTAS”, de acordo com a troca de mensagens a que a Agência Lusa teve acesso. Jorge Seguro reencaminhou o “desafio” para outros deputados que também usam o Twitter e seria Luís Carloto Marques a formalizar a proposta ao presidente da Assembleia da Republica, Jaime Gama, que a levaria à conferência de líderes parlamentares, onde seria aprovada por unanimidade. “É a primeira vez que se toma uma decisão no Parlamento português suscitada por um cidadão que interpelou um deputado através do Twitter”, disse à Agência Lusa o jornalista Paulo Querido, que acompanha com especial atenção o desenvolvimento das novas redes sociais na Internet.Luís Carloto Marques, deputado do Movimento Partido da Terra eleito nas listas do PSD, revelou à Lusa que há alguns meses vinha recolhendo exemplos de utilização no Parlamento de termos depreciativos e conclui que nos últimos quatro anos as palavras “autista” e "autismo” constavam em 157 páginas de 123 edições do Diário da Assembleia da República. O facto do “desafio” ter sido feito próximo do dia 02 de Abril, Dia Mundial da Consciencialização do Autismo, veio acelerar a iniciativa que Carloto Marques disse ter prevista.

sexta-feira, abril 17, 2009

O Mundo Impenetrável dos Autistas

Este artigo, foi escrito por um autista, e nos manda um recado: o autista é um ser como outro qualquer, são mais inteligentes do que nós, muito perceptivos, mas gostam de viver no seu mundo. Eu costumo comparar muito um autista com os passarinhos que vivem em cativeiros, os pássaros são exactamente como os autistas pois, gostam das coisas sempre nos mesmos lugares, se você as tira do lugar eles não gostam, dormem sempre nos mesmos lugares, e se você tentar entrar no mundinho deles que é a gaiolinha, eles avançam em você ou voam como loucos, porque você está invadindo o mundo deles, assim também são os autistas. Quem tiver um passarinho em casa procure observar, eles tem muito dos autistas. NÃO CHOREM POR NÓS Por Jim Sinclair. " Autista Asperger " Este artigo foi publicado na revista da Rede Internacional de Autismo (Autism Network International). É uma mostra do discurso de Jim , que é um autista asperger , na Conferência Internacional de Autismo em Toronto e foi dirigido principalmente aos pais .

Os pais geralmente contam que reconhecer que seu filho é autista foi a coisa mais traumática que já lhes aconteceu. As pessoas não autistas vêem o Autismo como uma grande tragédia,como um “coitadinho”, e os pais experimentam um contínuo desapontamento e luto em todos os estágios do ciclo de vida da família e da criança.

Mas este pesar não diz respeito directamente ao autismo da criança. É um luto pela perda da criança normal que os pais esperavam e desejavam ter, as expectativas e atitudes dos pais e as discrepâncias entre o que os pais esperam das crianças numa idade particular e o desenvolvimento atual de seu próprio filho causam mais stress e angústia que as complexidades práticas da convivência com uma pessoa autista.

Uma certa quantidade de dor é normal, até os pais se ajustarem ao facto de que o resultado e o relacionamento que eles estavam esperando não vai se materializar. Mas esta dor pela criança normal fantasiada precisa ser separada da percepção da criança que eles realmente têm: a criança autista que precisa de adultos cuidadosos, pode obter um relacionamento muito significativo com essas pessoas que cuidam dela, se lhes for dada a oportunidade. Atentar continuamente para o Autismo da criança como a origem da dor é prejudicial tanto para os pais como para a criança e impede o desenvolvimento de uma aceitação e de um relacionamento autêntico entre eles.

Em consideração a eles próprios ou à suas crianças, eu conclamo os pais a fazerem mudanças radicais nas suas opiniões sobre o que o Autismo significa. Eu convido vocês a olharem para o nosso Autista e olharem para o seu luto sob a nossa perspectiva .

O Autismo não é um apêndice.. O autismo não é algo que uma pessoa tenha, ou uma concha na qual ela esteja presa. Não há nenhuma criança normal escondida por trás do Autismo. O Autismo é um jeito de ser, é persuasivo, colore toda experiência, toda sensação, percepção, pensamento, emoção e encontro, todos os aspectos da existência. Não é possível separar o Autismo da pessoa. E se o fosse, a pessoa que você deixaria não seria a mesma com a qual você começou.

Isto é importante, então tire um momento para considerar que : Autismo é um jeito de ser. Não é possível separar a pessoa do Autismo . Por conseguinte, quando os pais dizem: "Gostaria que meu filho não tivesse Autismo" O que eles realmente estão dizendo é: "Gostaria que meu filho autista não existisse, e eu tivesse uma criança diferente em seu lugar"

Leia isto novamente. Isto é o que ouvimos quando vocês lamentam por nossa existência. É o que percebemos quando vocês nos falam de suas mais tenras esperanças e sonhos para nós: que seu maior desejo é que, um dia, nós deixemos de ser, e os estranhos que vocês possam amar vão surgir detrás de nossas .

Autismo não é uma parede impenetrável Você tenta falar com seu filho autista e ele não responde. Ele não te vê. Você não consegue alcançá-lo. . É a coisa mais difícil de lidar, não é? A única coisa é que isso não é verdade .

Veja novamente: você tenta falar como pai de uma criança, usando seu próprio entendimento de uma criança normal, seus próprios sentimentos sobre relacionamentos. E a criança não responde de forma que você possa reconhecer como sendo parte desse sistema .

Isso não significa que a criança esteja totalmente incapacitada para se relacionar. Só significa que você está assumindo um sistema compartilhado, um entendimento compartilhado de sinais e significações do qual a criança em questão não participa . É como se você tentasse ter uma conversa íntima com uma pessoa que não tem compreensão de sua linguagem. É óbvio que a pessoa cuja linguagem não vai entender o que você está falando; não vai responder da forma que você espera; e pode mesmo achar confusa e desprazeria toda a interacção .

Dá mais trabalho se comunicar com uma pessoa cuja linguagem não é a nossa. E o Autismo vai mais fundo que a linguagem e a cultura. Os autistas são estrangeiros em quaisquer sociedades. Você vai ter que abrir mão de toda a sua apropriação de significados compartilhados. Você vai ter que aprender a voltar a níveis mais básicos, sobre os quais provavelmente você nunca tenha pensado, vai ter que abandonar a certeza de estar em seu próprio território familiar de conhecimento, do qual você está a serviço e deixar seu filho lhe ensinar um pouco de sua linguagem, guiá-lo um pouco para dentro de seu mundo .

Mesmo que você tenha sucesso, ainda não será um relacionamento normal entre pai e filho. Sua criança autista pode aprender a falar, pode ir para séries regulares na escola, pode ir à Universidade, dirigir um carro, viver independentemente, ter uma carreira - mas nunca vai conversar com você como outras crianças conversam com seus pais. Ou, sua criança autista pode nunca falar, pode passar de uma sala de educação para programas de oficina protegida, ou residências especiais, podem precisar por toda a vida de cuidado e supervisão de tempo integral - mas essa tarefa não está completamente fora do seu alcance. As formas que relatamos aqui são diferentes.

Levam para coisas que suas expectativas dizem que são normais, e você vai encontrar frustração, desapontamento, ressentimento, talvez até raiva e ódio. Aproxime-se respeitavelmente, sem preconceitos e com abertura para aprender novas coisas, e você vai encontrar um mundo que nunca poderia ter imaginado . Sim, isto dá mais trabalho que falar com uma pessoa não autista. Mas pode ser feito - a não ser que as pessoas não autistas estejam muito mais limitadas que nós em sua capacidade de se relacionar.

Levamos a vida inteira fazendo isso. Cada um de nós que aprende a falar com vocês, cada um de nós que funciona bem na sua sociedade, cada um de nós que consegue alcançar e fazer um contacto com vocês está operando em um território estranho, fazendo contacto com seres alienígenas. Passamos a nossa vida inteira fazendo isso. E então, vocês vêm nos dizer que não podemos falar. Autismo não é morte Certo, o autismo não é o que muitos pais esperam e se preparam quando antecipam a chegada de uma criança. O que esperam é que uma criança vai parecer com eles, vai pertencer ao seu mundo e falar com eles sem um treinamento intensivo para um contacto alienígena.

Não se perde uma criança para o Autismo. Perde-se uma criança porque a que se esperou nunca chegou a existir. Isso não é culpa da criança autista que, realmente, existe e não deve ser o nosso fardo. Nós precisamos e merecemos famílias que possam nos ver e valorizar por nós mesmos, e não famílias que têm uma visão obscurecida sobre nós por fantasmas de uma criança que nunca viveu. Chore por seus próprios sonhos perdidos se você precisa. Mas não chore por nós. Estamos vivos. Somos reais. Estamos aqui esperando por você .

É o que acho sobre como as sociedades sobre autismo devem ser: sem lamentações sobre o que nunca houve, mas deve haver explorações sobre o que é. Precisamos de você. Precisamos de sua ajuda e entendimento. Seu mundo não está muito aberto para nós e não conseguiremos se não tivermos um forte apoio. Sim, o que vem com o Autismo é uma tragédia: não pelo que somos, mas pelas coisas que acontecem connosco. Fique triste com isso se quiser ficar triste com alguma coisa! Melhor que ficar triste com isso é ficar louco com isso - e então faça alguma coisa. A tragédia não é porque estamos aqui, mas porque o seu mundo não tem lugar para com que nós existamos. Como pode ser de outra forma se nossos próprios pais ainda se lamentam por nos terem trazido para este mundo ?

Olhe, alguma vez, para o seu filho autista e tire um momento para dizer para si mesmo quem aquela criança não é. Pense: "Essa não é a criança que esperei e planejei. Não é aquela criança que esperei por todos aqueles anos de pregnância e todas aquelas horas de sofrimentos. Não é aquela que fiz todos aqueles planos e dividi todas aquelas experiências. Aquela criança nunca veio. Não é esta criança". Então vá fazer do seu luto não importa o que - e comece a aprender a deixar as coisas acontecerem .

Depois que você começar a deixar as coisas acontecerem, volte e olhe para o seu filho autista novamente: "Esta criança não é a que eu esperava e planejava. É uma criança alienígena que caiu em minha vida por acidente. Não sei o que é essa criança ou o que vai ser. Mas sei que é uma criança naufragada num mundo estranho, sem pais com formas próprias de cuidado. Precisa de alguém com cuidados para isso, para ensinar, para interpretar e para defender. E devido a essa criança alienígena cair na minha vida, esse trabalho é meu, se eu quiser" Fonte de Pesquisa; autismo-br.com

sábado, abril 11, 2009

Coelhinho da Páscoa

310320091023

Este foi o nosso folar para os meninos…BOA PÁSCOAcool myspace layouts

cool myspace layouts

Coelhinho da Páscoa Que trazes para mim? Um ovo, dois ovos, três ovos assim (2x) Coelhinho da Páscoa Que cor eles têm? Azul, amarelo, vermelho também (2x)

030420091031

terça-feira, abril 07, 2009

A Primavera chegou….

24032009589

PhotobucketMais um bom trabalho das nossas crianças…brigada

CRONIXAS

Olá eu sou a CRONIXAS...Vou ser eu que vou publicar noticias da minha unidade de ensino estruturada....De semana a semana eu vou contar o que os nossos meninos fizeram na sala...Até lá BOA PÁSCOA...e FÉRIAS...claro...bjx…P.S.-Desculpem por ter assim o blog mas eu ainda estou a construi lo melhor…brigada.

quinta-feira, abril 02, 2009

UNIDADE DE ENSINO ESTRUTURADO

UNIDADE DE ENSINO ESTRUTURADO

EB1 de S. Donato + Jardim de Infância

Ano Lectivo 2008/2009

image001

A Unidade de Ensino Estruturado destina-se a apoiar alunos que apresentem Perturbações do Espectro do Autismo, independentemente do grau de severidade, ou da manifestação de outras perturbações associadas.O modelo Teacch é um programa estruturado que privilegia implementação de rotinas, tornando o meio mais previsível, passando pelas diferentes áreas ao longo do dia, tais como:

1ª ÁREA DE TRANSIÇÃO

image002

A área de transição corresponde ao espaço onde estão os horários individuais que orientam as actividades diárias de cada aluno. As pistas visuais informam sobre onde, quando e o que fazer durante o dia, ou parte do dia.

2ª ÁREA DA REUNIÃO

image003

Área onde se privilegia a interacção social e a comunicação. Privilegia-se aprendizagens diversas, como o estar sentado, explorar o calendário do tempo,mapas de presença, entre outras.

3ª ÁREA DO APRENDER

image004

Área onde se realizam as tarefas com apoio do adulto - trabalho individualizado(ensino 1:1 – aluno/educador). Aqui se desenvolve a atenção/concentração.Consolidação de aprendizagens.

4ª ÁREA DO TRABALHAR

image

Área onde se realizam as actividades que resultam do aprender. Pretende-se que o aluno realize de forma autónoma as actividades já aprendidas. Cada aluno deverá ter a sua própria área.

5ª ÁREA DO TRABALHO DE GRUPO

image

Juntos damos as mãos a estas crianças e ajudámo-las e escrever um futuro melhor...“Não cheguei a onde cheguei, se não fosse autista” – Larry Arnold,

Doutorando na Universidade de Birmingham